sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Uganda quer proibir minissaias para evitar acidentes


O ministro ugandense de Ética e Integridade, Nsaba Buturo, afirmou que as minissaias devem ser banidas do país porque mulheres que as usam distraem os motoristas e provocam acidentes de trânsito।

Em uma entrevista coletiva na capital, Kampala, Buturo disse que "usar minissaia é como andar nu pela rua"।

"Você pode causar um acidente porque algumas pessoas daqui são psicologicamente fracas", disse o ministro।

Para ele, o uso da minissaia deve ser classificado como uma "indecência" sujeita a penalização pela lei de Uganda। Buturo alertou ainda para os perigos que enfrentam os motoristas que se distraem por causa das minissaias.

"Se você encontra uma pessoa nua, você começa a se concentrar no corpo da pessoa, mas continua dirigindo", disse। "Hoje em dia é difícil distinguir a mãe da filha, elas estão todas peladas", afirmou o ministro.

VíciosNsaba Buturo acredita que o uso de roupas indecentes é apenas um dos muitos vícios da sociedade ugandense।

"Roubo e desvio de recursos públicos, serviços abaixo do padrão, ganância, infidelidade, prostituição, homossexualismo e sectarismo", citou o ministro।

Mmali explica que no início deste ano, a Universidade Makerere, em Kampala, decidiu impor regras para os trajes femininos na instituição।

A proibição da minissaia e das calças apertadas ainda não foi implementada, mas o assunto já parece dividir setores da sociedade.

Um comentário:

Guilherme Freitas disse...

Se proibirem a mini-saia no Brasil, as mulheres farão um escândalo. Atacar a mini-saia na minha opinião é uma atitude machista de jogar a culpa na mini-saia. O motorista pode se distrair olhando para um outdoor, um homem ou qualquer coisa. Me parece uma desculpa para atingir as mulheres.