quinta-feira, 21 de agosto de 2008

“Lei da ditadura”, lei do silêncio



Em momento conturbado de nossa democracia vai se usando cada vez mais o poder e mais distante a lei।

Com isto segue, monotonamente, o caminho de tantos antecessores, a ignorar a espúria estrada que levou tantos poderes ilegais a ir confundindo o bem de todos com salvação de alguns।

Neste processo de destruição de resistências, a mais importante etapa é a que venha quebrar o espelho que liberdade de imprensa brande inexoravelmente diante do Poder, mostrando-lhe a sua máscara autêntica, convulsionada pelo medo, lívida pelo ódio, arregalada pela íntima convicção das próprias culpas।

A liberdade de expressão continua seduzindo os cultores do direito, os amantes da verdade, os paladinos da justiça, que acreditam depender a moralidade de nossos costumes, a probidade política, a ética social e o respeito às leis, de intenso debate, de notícias que despertam a noção de civilidade e de ampla publicidade que torna transparente o sentido dos actos e o carácter das pessoas que os vivem।Nada contra certos idealismos mas importa questionar:

O governo Moçambicano é ruim de notícia? Ou Talvez a imprensa seja boazinha com o governo, cobrindo com muita discrição o que em outras épocas virava escândalo? O Jornalista pode responder a processo de indemnização?

2 comentários:

Guilherme Freitas disse...

A liberdade de imprensa não pode jamais ser ignorada ou impedida. É vergonhoso um governo tentar negar ao jornalista o direito dele exercer sua profissão e informar o público. Ninguém tem o direito desconder a verdade do povo.

Anônimo disse...

Só nas ditaduras mascaradas de "democracias exemplares" os jornalitas são perseguidos desta infame maneira . Isto chama-se em VERDADEIRAS DEMOCRACIAS -- INTIMIDAÇÂO -- . Jornalistas do mundo , ponham os olhos nesta forma encapotada de cesnsura.
NunoL. Simeone