sábado, 20 de dezembro de 2008

“Não me rendo” - avisa Mugabe aos seus detractores


O PRESIDENTE do Zimbabwe, Robert Mugabe, lançou ontem o mais forte ataque, até ao momento, contra os seus críticos em África e fora do continente, em resposta aos apelos para que se retire do poder। Falando num congresso do seu partido, a União Nacional Africana do Zimbabwe – Frente Patriótica (ZANU-PF), Mugabe disse que o Zimbabwe é se e que não se sente intimidado pelos que exigem a sua demissão.O jornal The Herald, publicado em Harare, citou Mugabe ontem a dizer que “nenhum país africano terá coragem de o derrubar”.


"O Zimbabwe pertence-me", disse Mugabe, no seu discurso, no congresso da ZANU-PF."Nunca, jamais, venderei o meu país", acrescentou, advertindo os países ocidentais e africanos, que exigem a sua demissão, de que não se sente intimidado."Podem ameaçar decapitar-me. Eu acredito nisto e ninguém me vai derrubar: o Zimbabwe pertence-me, não pertence aos britânicos", sublinhou.Perante o congresso da ZANU-PF, na pequena cidade mineira de Bindura, Mugabe, 84 anos, dos quais 28 no poder, discursou contra a "nova colonização do país que o Zimbabwe enfrentará no caso de se afastar do poder.Entretanto, a Conferência de Bispos Católicos da África Austral considerou ontem que a mediação da SADC para resolver a crise no Zimbabwe falhou rotundamente e que chegou a hora da África do Sul forçar a demissão de Mugabe.Um comunicado da Conferência de Bispos Católicos, distribuído na Cidade do Cabo, acusa o presidente zimbabweano de “estar claramente disposto a ver o seu povo morrer de fome e de cólera, desde que mantenha nas mãos o poder que detém há 28 anos”.

Um comentário:

Guilherme Freitas disse...

Analizando as declarações de Mugabe podemos ver o quanto ele é megalomaníaco. Ao dizer que o "Zimbábue me pertence", confirma-se que ele pensa que o país é só dele, ou seja, não aceita sugestões e críticas de ninguém. Mugabe trata o seu país como se fosse uma propriedade sua. Em outras palavras, ele não conhece a palavra democracia.